MISSÃO.

A missão da Associação Buda

É promover a construção do conhecimento e ensino do budismo e da budologia, bem como do cristianismo, enquanto estudo religioso e acadêmico, através da teologia, com atuação em projetos voltados à educação, tanto em solo nacional, quanto internacional de modo a permitir o engajamento em parcerias que visem a promoção do estudo, ensino e debate acadêmicos, bem como ajuda humanitária nacional e internacional.

VISÃO.

Ser um centro de educação

e convivência nacional e internacional, a partir de uma compreensão dos textos canônicos no budismo, na budologia e no cristianismo, em um modelo estrutural de excelência em educação e trabalho social.

 

 

VALORES.

Pautados em valores da moral budista

com raízes na compaixão e altruísmo, trabalhamos com dedicação, eficiência, honestidade, amizade, lealdade, responsabilidade social e ambiental, respeito e prontidão, mesmo nos momentos mais adversos. Esses valores representam e orientam nossa conduta, tanto individualmente como socialmente.

MISSÃO.

A missão da Associação Buda

É promover a construção do conhecimento e ensino do budismo e da ciência budista, bem como do cristianismo, enquanto estudo religioso e acadêmico, através da teologia, com atuação em projetos voltados à educação, tanto em solo nacional, quanto internacional de modo a permitir o engajamento em parcerias que visem a promoção do estudo, ensino e debate acadêmicos, bem como ajuda humanitária nacional e internacional.

VISÃO.

Ser um centro de educação

e convivência nacional e internacional, a partir de uma compreensão dos textos canônicos no budismo, na ciência budista e no cristianismo, em um modelo estrutural de excelência em educação e trabalho social.

 

VALORES.

Pautados em valores da moral budista

com raízes na compaixão e altruísmo, trabalhamos com dedicação, eficiência, honestidade, amizade, lealdade, responsabilidade social e ambiental, respeito e prontidão, mesmo nos momentos mais adversos. Esses valores representam e orientam nossa conduta, tanto individualmente como socialmente.

No centro da imagem, encontram-se os professores Plínio Marcos Tsai (fundador da Associação BUDA), monge Jonathan Raichart (Lobsang Chogni) e alunos idealizadores da Associação Buda Darma.

No centro da imagem, encontram-se os professores Plínio Marcos Tsai (fundador da Associação BUDA), monge Jonathan Raichart (Lobsang Chogni) e alunos idealizadores da Associação Buda Darma.

História

HISTÓRIA

timeline_pre_loader

Sede

Em 2007, ainda não havia uma sede física. No entanto, já havia encontros ocasionais na casa dos interessados em budismo, que formava um grupo muito pequeno no bairro de Barão Geraldo, na cidade de Campinas. Com o passar do tempo, o número de interessados foi aumentando. Isso resultou na criação de estatuto jurídico para a Associação BUDA (que, na época, chamava-se ITG) e no estabelecimento da primeira sede física, em 2008, em uma casa alugada, no bairro Taquaral, na cidade de Campinas. A Associação foi sendo construída gradualmente e sempre foi se adaptando ao crescente número de alunos que se aproximava.

Em 2011, ocorreu a mudança da sede física para a cidade de Valinhos (que passou a se chamar ATG). Inicialmente, a sede localizava-se no bairro Vale Verde, em uma área de barracões industriais. Por conta do  aumento do número de interessados e associados, houve então uma segunda mudança para o lugar que estamos atualmente. A sede atual é completamente dedicada ao serviço voltado aos associados, onde nós dispomos de uma sala de aula, uma biblioteca de acervo considerável, além de áreas de estudos para os alunos e também de uma área de treino para exercícios físicos e ensino de artes marciais de origens budistas.

No ano de 2019, os associados e diretores da ATG decidiram, por unanimidade, alterar o nome da instituição: ao invés de “Associação Tathagatagarbha”, passamos a nos identificar como “Associação Buda Darma” (BUDA), o que simplificou a nossa identificação perante a sociedade local.

Ações Sociais

As Ações  Sociais começaram a se tornar a parte central da Associação BUDA a partir do momento que  mudamos para a cidade de Valinhos. Antes disso, existiam atividades sociais voltadas para a ajuda humanitária, em alguns focos isolados no âmbito nacional e internacional. Mas com a mudança para Valinhos, um novo ímpeto de ajuda social foi tomando corpo, e a BUDA passou a assumir projetos sociais consistentes junto as entidades da administração publica de Valinhos.

As atividades iniciais de pequeno foco foram de auxílio à comunidade de refugiados tibetanos, sediados na Índia, em especial para entidades voltadas ao ensino, assistência e acolhimento de crianças órfãs na Índia. Durante o período de 2007 a 2014 foram beneficiadas as seguintes instituições: Sera Jey Children Monastery Care of House 3, Little Flower Creche e Tibetan Children’s Village.

Então, a partir de 2015, a BUDA se voltou especificamente aos projetos de educação, no âmbito das comunidades locais, voltados à promoção de valores sociais e humanos e, dessa forma, dando continuidade ao desenvolvimento de ações sociais, dentre eles com o projeto em parceria com a “Casa da Criança e do Adolescente” da cidade de Valinhos. A partir de então, tivemos um aumento na participação em parcerias com projetos da esfera local, tais como em atividades culturais de escolas de ensino público municipais, de modo a promover temas relacionados à Saúde, Direito, Ética, Música e Arte. O objetivo da Associação BUDA a ampliação de seus projetos sociais, de maneira a contribuir com o ensino interdisciplinar nas escolas e, desse modo, contribuir com o desenvolvimento cultural de toda a região.

Conheça nossas Ações Sociais:Acesse Aqui

Relações com Município de Valinhos - Utilidade Pública

Com a visão de contribuir ativamente com o desenvolvimento da Educação e da Cultura de Valinhos, a Associação BUDA entrou com o pedido de declaração de Utilidade Publica, e reunindo todas as suas atividades sociais e educacionais em andamento na cidade, obteve a aceitação do pedido: A Associação BUDA passou a ser declarada como de Utilidade Publica para o Munícipio de Valinhos. Com isso a visão da BUDA se concretizou e parcerias com a Secretaria de Cultura, Patrulheiros, Semana da Mulher, Festa do Figo, dentre outras atividades, estão ocorrendo, sempre com a ajuda e engajamento dos seus associados.

Conheça nossos reconhecimentos nacionais e internacionais: Acesse Aqui

Estrutura de Ensino: da Estrutura do Lamrim à Formação em Teologia Budista

Em 2007 começaram as aulas que, gradualmente, foram constituindo o curso de formação em Teologia Budista da nossa Associação. Inicialmente não era a Teologia Budista, mas um estudo sistemático de alguns textos centrais da Tradição Geluk, como o Tratado Gradual da Essência do Ouro Refinado (Lamrim Shershoonma), do Grande Tratado Gradual do Completo Despertar (Lamrim Chenmo), etc. Esses estudos seguiram o interesse dos associados, no início era uma aula por semana de, no máximo duas horas de duração. Um ritmo bem lento. Mas com o tempo, com o ingresso de novos associados, que desejam estudar sistematicamente, os professores foram organizando as disciplinas de acordo com os moldes da Ciência Budista acadêmica e internacional e posteriormente nos moldes do Ministério da Educação (MEC) do Brasil consolidando a Teologia Budista. Em virtude do ritmo, dos cursos serem gratuitos, o que demandava um comprometimento menor por parte dos estudantes, com aulas sempre em função da disponibilidade de tempo deles, a primeira turma de Teologia Budista alcançou a conclusão do programa do Curso de Formação após 10 anos do seu início.

Formação em Teologia Budista

A preferência e adoção de linguagem acadêmica e diálogo com Filosofia e Cristianismo já ocorria desde 2007, mas em 2016  essa visão fundamentou a criação do Instituto de Teologias Budista e Cristã (ITBC), destinado a ser uma instituição com apoio em linguagem e métodos acadêmicos para o estudo do Budismo, e com ele, a criação do formato de curso atual –  uma formação em Teologia Budista. Com o sistema EAD consolidado, modificamos o formato das aulas, a linguagem e a produção visual para essa plataforma. Com isso, conseguimos cada vez mais atingir mais alunos, em mais localidades. Com a formação da primeira turma, começamos a disponibilizar mais disciplinas, alinhadas à área de especialização de cada um deles.

Com o desenvolvimento dos cursos iniciais da Tradição Geluk, foi se verificando, por meio de um constante diálogo com os estudantes, a necessidade da mudança para o registro da Teologia Budista. Essa mudança se deu em função da distância entre os mundos. Conheça o ITBC: Acesse Aqui.

Apostilas e Livros: Editora ATG

O conhecimento em geral vem através de textos tradicionais, continuamente reinterpretados, a partir de autores indianos, chineses e tibetanos. Eles escreveram em suas línguas nativas, ou mesmo traduziram os textos indianos do séc. I d.C. até o séc. XIII d.C. para suas línguas pátrias, mas nenhuma delas era a nossa língua portuguesa. Para trazer esse conhecimento para o nosso registro linguístico, tivemos que começar um processo de tradução, que começou antes mesmo da Associação, por volta de 2005. Esse trabalho foi sendo realizado pelo idealizador da Associação, Plínio Marcos Tsai, que continua o seu trabalho de traduções e comentários, com todos os direitos autorais cedidos, sem reservas, para a Associação. Pensando na publicação destes trabalhos, em 2017, a Associação BUDA começou a empenhar-se no que viria a ser, atualmente, a Editora da Associação: a Editora ATG. Atualmente a Editora conta com um grande acervo de apostilas e livros publicados e registrados.

Conheça nossa editora: Acesse Aqui

Vida Monástica

A chegada do venerável monge Lobsang Chogni (Jonathan Raichart), com a ordenação mais elevada da ordenação monástica tibetana, um Gelong, tornou possível o ingresso dos interessados na forma mais tradicional do modo de vida budista, a vida monástica. A partir dele, monges e monjas brasileiros foram ordenados, e ao longo do caminho, até o presente momento, alguns se mantiveram como monges, outros deixaram a vida monástica, mas continuam participando ativamente da Associação. Em 2012, a viagem de membros da Associação para Índia possibilitou que as monjas adentrassem a ordenação monástica feminina mais elevada da tradição Geluk tibetana, o nível de Getsunma, pelo Monastério de Sera Jey, na India. A vida monástica continua sendo um dos pontos principais da Associação BUDA, com o estudo sistemático e o cultivo constante do Código Vinaya Mulasarvastivada. Há também os estudos sistemáticos de outro Código Vinaya, o Dharmagupta, mais presentes na China e no Japão, com forte ênfase na igualdade entre monges e monjas.

Saiba mais sobre nossos monges e a tradição Geluk: Acesse Aqui

Diálogos Acadêmicos e Inter-religiosos

A promoção do diálogo acadêmico, nas área de Filosofia, Ciências Sociais, História, Direito, Física Quântica, Linguística, Psicanalise, Psicologia e Esporte, e a promoção do dialogo inter-religioso, acentuadamente entre o Budismo, o Cristianismo (Catolicismo Romano, da Igreja Metodista, do Espiritismo Kardecista e da Umbanda) e o Islamismo, são características fundamentais da Associação BUDA e do Instituto de Teologias Budista e Cristã (ITBC). Saiba mais.

Corpo Institucional

Conforme o Estatuto o corpo institucional executivo é rotativo.

null

PLÍNIO TSAI

Fundador
null

WAGNER MILANEZI

Diretor Financeiro
null

CIBELE FURLAN

Presidente
null

PATRÍCIA PALAZZO

Diretora Jurídica
null

NAYARA TAKAHASHI

Diretora Geral
null

TATTIANE MARQUES

Relação Pública

Reconhecimento